segunda-feira, 10 de março de 2014

MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES DA ARGENTINA

Museu Nacional de Belas Artes da Argentina


Museu Nacional de Belas Artes da Argentina, extensão na cidade de Neuquén.

Engana quem pensa que Buenos Aires é apenas a capital do tango. Além dessa particularidade, a cidade é também a sede de um patrimônio cultural incalculável: o Museu Nacional de Belas Artes da Argentina. Como todas as grandes instituições museológicas, as doações foram e são de suma importância para que o patrimônio se formasse e multiplicasse. Inaugurado em 1895, mas com funcionamento iniciado somente um ano depois, a instituição contava apenas com 163 obras em seu início. Ela viu o acervo multiplicar por vinte, em apenas uma década. Graças ao bom desempenho de seus diretores e principalmente à colaborações de doadores.

PETER PAUL RUBENS - A Sagrada família com Santa Izabel e São João
Óleo sobre tela - 36 x 31,5

     
Esquerda: EL GRECO - Jesus no Jardim das Oliveiras
Óleo sobre tela - 108 x 76 - Entre 1600 e 1607
Direita: TIEPOLO - Os hebreus recolhendo o maná no deserto
Óleo sobre tela - 92 x 67 - Cerca de 1740

A atual sede, antiga Casa das Bombas, é sua terceira instalação. O acervo foi crescendo tanto que as duas primeiras acomodações se fizeram pequenas. O atual edifício que abriga as instalações do museu era o local que filtrava a água do rio, e esta seguia a um tanque até a Praça Lorea. Alejandro Bustillo foi o arquiteto que se encarregou de configurar a antiga construção aos moldes dos melhores museus europeus, concebendo-o com amplas e bem iluminadas salas, além de se preocupar com uma mobilidade adequada a cada visitante. Não só atingiu os seus objetivos como concebeu umas das melhores acomodações museológicas da América Latina. Desde 1932, o museu funciona no atual endereço.

WILLIAM BOUGUEREAU - A toilette de Venus
Óleo sobre tela - 170 x 130 - 1873

ÉDOUARD MANET - A ninfa surpreendida
Óleo sobre tela - 144,5 x 112,5 - 1861

Várias reformas foram se fazendo necessárias ao longo da trajetória do museu, como a primeira mais significativa em 1961, ano em que foi construído um pavilhão para obras temporárias. A maior sala de exposições do museu só ficou pronta em 1981 e abriga atualmente a coleção de arte argentina do século XX. Com as ampliações de 1984, que incluíram um segundo andar, também ficaram prontas as dependências técnicas e administrativas, bem como dois pavilhões para esculturas.

CLAUDE MONET - Margens no Sena - Óleo sobre tela - 60 x 73 - 1883

EDGAR DEGAS - Duas dançarinas, amarelo e rosa
Pastel sobre papel - 106 x 108 - 1898

Os números impressionam: atualmente o museu conta com 34 salas de exibição, 24 localizadas no térreo (2.000 m²), 8 no primeiro andar (2.200 m²) e 2 no segundo (410 m²). No térreo encontra-se a biblioteca especializada em arte, com um patrimônio de 150.000 volumes; enquanto no primeiro andar foi construído um auditório de 320 m², onde são realizadas diferentes atividades artísticas. O museu conta com um patrimônio atual de 12.713 obras, (que compreendem pinturas, esculturas, tapetes, gravuras, desenhos e objetos) das quais menos de 700 ficam em exposição permanente. Possui obras representativas de várias escolas artísticas de diferentes épocas, além do maior acervo de arte argentina.

AUGUSTO BALLERINI - Quedas do Iguaçu - Óleo sobre tela - 34,5 X 102 - 1892

EDUARDO DE MARTINO
O Almirante Brown entrando no porto
Óleo sobre tela - 46 x 31,4

FERNANDO FADER - Fim de inverno - Óleo sobre tela - 100 x 120 - 1918

Um fato que atesta como estão sintonizados os seus administradores, desde sua fundação, trata-se de um episódio ocorrido em 1907, quando a instituição adquiriu um trabalho de Renoir, no mesmo ano que o Metropolitan de Nova York adquiriu a primeira obra do artista. Aliás, as escolas francesas, italianas e espanholas sempre foram o principal foco em momentos de aquisição de novas obras. Outro fato de destaque trata-se de uma grande doação feita pela família Guerric, em 1938. Foram mais de uma centena de importantes obras de meados do século XIX.

VINCENT VAN GOGH - Le Moulin de la Galette
Óleo sobre papel entelado - 61 x 50 - Entre 1886 e 1887

Para os 50 anos de existência, o museu programou uma série de exposições itinerantes em diversas outras instituições da Argentina, levando o seu acervo ao conhecimento de muitos que ainda não haviam tido a possibilidades de conhece-lo. Com a Revolução Libertadora ocorrida no país, o museu fechou suas portas durante 10 anos, desde 1955, voltando a abri-lo com a reforma de algumas dependências.

VINCENZO CAPRILE - Banho de mar - Óleo sobre tela - 83 x 150,5 - 1887

RODIN - O beijo, estudo
Terracota e gesso - 76 x 44 x 54 - Entre 1881 e 1882

Em 1992, uma significativa exposição foi inaugurada, comemorando 500 anos de descobrimento da América. Nela, constavam as várias aquisições de artistas espanhóis adquiridas durante toda sua trajetória. Um fato importante a mencionar é que o museu possui a mais importante coleção de obras espanholas, fora da Espanha.

JOAQUÍN SOROLLA Y BASTIDA - Ao voltar da pesca
Óleo sobre tela - 50 x 98 - 1898

MARIANO FORTUNY Y MARSAL - Odalisca
Óleo sobre tela - 21 x 32,5 - 1865

Mais uma vez as instalações do museu se fizeram pequenas, sendo necessária a construção de uma extensão. Em 12 de setembro de 2004 foi inaugurada uma filial do MNBA na cidade de Neuquén. O edifício foi desenhado pelo arquiteto Mario Álvarez, possui uma superfície de 2.500 m² e por não ser um edifício reaproveitado, foi construído especialmente para abrigar ao museu, e é dotado de uma ampla funcionalidade. Essa extensão conta com quatro salas, três para a mostra permanente de 215 obras e as restantes para as exibições temporárias, e um auditório para 400 pessoas que é utilizado para diversas atividades culturais.

AMADEO MODIGLIANI - Figura feminina
Óleo sobre tela - 61 x 46

           
Esquerda: JUAN BATTLE PLANES - A mensagem
Óleo sobre tela - 200 x 150
Direita: JACKSON POLLOCK - Estrela fugaz
Óleo sobre tela - 99 x 61 - 1947 - 1963

Caso você vá a Argentina, não deixe de visitar esse invejável patrimônio. Caso não possa ir, visite a sua página virtual, uma das mais bem elaboradas páginas de museus que você irá encontrar:

4 comentários:

  1. Em Buenos Aires o Museo de los niños também vale a visita. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica a dica, então. Grato por vir!
      Grande abraço!

      Excluir
  2. Sem dúvida: o melhor lugar para descansar os olhos!
    Belíssima matéria....
    Abração....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dias agitados por aqui, amigo.
      Abraço grande!

      Excluir