quarta-feira, 13 de junho de 2012

INTOXICAÇÃO POR MATERIAIS ARTÍSTICOS


ARTUR TIMÓTEO DA COSTA - Pintor em seu ateliê
Óleo sobre tela

Estar disponível para a Arte é um privilégio praticado por muitos ultimamente, em todas as partes do mundo. Muitos fazem disso sua profissão, sobrevivendo dela e movimentando um grande mercado. Outros encontram no fazer artístico apenas um passatempo, que ajuda na promoção humana e que por vezes se torna uma eficaz terapia. No entanto, fazer arte requer alguns cuidados na sua execução, tanto para aqueles que a praticam ocasionalmente, e principalmente por aqueles que a fazem em sua rotina diária. É que grande parte dos materiais utilizados para a confecção de qualquer obra de arte esconde grandes perigos, devido ao seu alto grau de toxicidade.
Uma grande parte dos pigmentos utilizados na fabricação das cores tem em sua composição elementos agressivos à saúde humana, como os metais pesados; além de diluentes ou solventes para se tornarem estáveis e manipuláveis. Dependendo da técnica, esses materiais podem ser manipulados sob controle e não proporcionam perigo. Mas, na busca por uma técnica mais apurada e por efeitos além dos tradicionais, tem-se utilizado exageradamente métodos que põe em risco a saúde de quem os manipula. Vê-se cada vez mais, o uso abusivo de veladuras e transparências conseguidas graças ao uso de resinas, vernizes e toda sorte de diluentes e solventes. São esses últimos, os maiores vilões nessa história.
A presente matéria traz um alerta, não no sentido de amedrontar e provocar pânico. Os materiais estão aí para serem utilizados e são os nossos maiores aliados para a produção daquilo que idealizamos e trazemos para a realidade. O que pretendo é sensibilizar que todas as coisas nos oferecem riscos. Como disse Saint Exupéry em “O Pequeno Príncipe”: Até uma rosa pode nos ferir, tudo depende da maneira como dela nos aproximamos. Assim também, qualquer material utilizado para fazer arte pode se tornar o nosso maior aliado ou nosso maior inimigo, tudo depende da maneira como os utilizamos.
Experiência está ligada a experimentar, observar na prática, sofrer ou praticar uma ação. Aprender pela experiência pode ser doloroso, mas é um aprendizado que muda nosso comportamento e nos faz caminhar com mais segurança. Em 2003, uma série de transtornos com garganta e sistema respiratório, levou-me a rever comportamentos referentes ao processo de execução de meu trabalho, a pintura a óleo. A recorrência dos problemas relacionados acima se dava pelo uso constante; que eu fazia até então; de terebintina e secante de cobalto, além de querosene ou thinner para limpeza de pincéis. Problemas de saúde que foram logo resolvidos, mediante a suspensão do uso de tais produtos e o afastamento do contato com a pintura por 4 meses. Até então, ignorava os efeitos danosos desses produtos sobre o organismo e nunca havia pensado na possibilidade de ser intoxicado por eles. Creio que esse seja o raciocínio errôneo de muitos artistas, mundo afora.

Solventes

A concepção de um ateliê todo em desordem, com uma série de tintas e produtos espalhados por todos os lados, e o artista tão sujo e desorganizado quanto ele, pode parecer meio romântica e aludir à sensação que o artista e sua arte estão completamente integrados. É uma cena bonita na ficção. Na prática, esse mau hábito pode trazer consequências sérias para a saúde do artista. As biografias de vários artistas nos relatam o mal que tais produtos já proporcionaram. Um dos exemplos mais famosos entre nós é o de Portinari, que faleceu cedo, em decorrência da exposição errônea e prolongada a tais produtos.
Em grande parte das vezes, tais transtornos a saúde são gerados principalmente pela condição do ambiente onde se trabalha. Um ateliê adequado para o trabalho e que reduza quase que completamente os riscos de intoxicação, deve ter uma boa ventilação e nenhuma concentração de odores. Ambientes fechados e que não permitam boa troca de ar são ideais para o surgimento e agravamento de várias doenças e transtornos a saúde. Vale ressaltar também que algumas pessoas são mais tolerantes que outras, mas isso não impede que estejam sendo intoxicadas. Os danos virão, é só uma questão de tempo.
As substâncias tóxicas utilizadas no processo de diversos trabalhos artísticos podem penetrar no corpo através de várias maneiras: por ingestão, por respiração/aspiração e também podem ser absorvidos pela pele. De acordo com a natureza de cada pessoa, os danos provocados por essas substâncias podem ser agudos ou crônicos, também podem ser sanados tão logo sejam remediados ao serem descobertos, ou se tornarem irreversíveis. A exposição pode causar danos ao cérebro e provocar doenças mentais, assim como outros males e moléstias físicas e levar até mesmo à morte. Segundo Ralph Mayer, no livro O Manual do Artista, as cores artísticas mais tóxicas podem causar doenças agudas ou crônicas (inclusive o câncer), provenientes de carcinógenos conhecidos ou desconhecidos.
Fique atento se, ao utilizar seu material de trabalho, começar a sentir alguns sinais frequentes, tais como irritação e vermelhidão dos olhos, ressecamento das fossas nasais, dores de cabeça sem motivo aparente, coceiras e micoses principalmente nas mãos, frequentes irritações do sistema respiratório (amígdalas, laringe e faringe) e em casos mais sérios, náusea e mal-estar. A intoxicação pode ocorrer de modo abrupto ou lento, sem você perceber. Todas as duas variantes trazem vários problemas.
Mediante tais alertas, não custa tomar algumas precauções para que o fazer artístico, uma atividade tão especial na vida de muitas pessoas, não torne um problema. Citarei algumas providências que são de minha própria experiência e que se mostraram muito úteis:
. Não pinte em locais fechados ou com pouca ventilação, em nenhuma circunstância. Mesmo os produtos menos tóxicos tem seu potencial de toxicidade aumentado nessas condições.
. Não use panos ou trapos para a limpeza de pincéis, quando estiver pintando. Eles retém cheiro e partículas de tintas, que acabarão sendo inalados ou entrarão em contato com sua pele. Use papel toalha ou guardanapos de papel e jogue-os fora sempre que sujarem o suficiente.
. Mantenha a lixeira fora do ateliê. Ela retém cheiro e continuará exalando os produtos voláteis que você havia descartado.
. Caso sinta alergia nas mãos, pelo contato com algum produto, use luvas descartáveis.
. Ao manusear diluentes e solventes com maior risco de toxicidade, utilize uma máscara e lave bem as mãos ao término de cada atividade.
. No uso de tinta à óleo, evite solventes ou diluentes. Se a tinta se apresentar mais densa, use pequenas gotas de óleo de linhaça para quebrar um pouco sua consistência. Tente se adaptar a uma pintura mais simplificada, com menos efeitos mirabolantes e que dispense o uso de vernizes e resinas, pois esses sempre necessitam de diluentes e solventes para serem aplicados.
. Também para a limpeza dos pincéis usados com óleo, utilize apenas detergente neutro em água corrente. Retire o excesso em pentes próprios para limpeza.
. Hidrate-se sempre que possível. O organismo precisa de líquidos para eliminar impurezas e manter o bom funcionamento dos rins.

Essas são apenas algumas sugestões. Como disse anteriormente, cada caso tem suas particularidades e conveniências. Observando melhor suas reações diante de alguns produtos e certas atividades, você se conhecerá melhor e saberá como se precaver de certos transtornos.

A Arte precisa de você para sobreviver. Colabore, para que ela nunca se acabe.


86 comentários:

  1. nossa ,voçe nao sabe como esse post me ajudou,eu precisei dar um tempo na pintura estava me intoxicando e horrivel,mais estou triste pois agora que estava me desenvolvendo bem,acho que o que me fez mal foi a agua raz para limpeza dos pinceis,e tambem outros produtos secante de cobalto terebentina o ambiente do atelie nao tem ventilaçao nenhumaeu peguei uma tosse que nao sara a boca fica salivando acho que vou ter que fazer um tratamento sei la,vou mesmo dar um tempo enquanto isso fico aqui no seu site apredendo obrigado por voçe existir bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho que voce poderia experimentar outros materiais como tinta acrilica, por exemplo, que e soluvel em agua, obviamente que tomando alguns cuidados quanto a ventilacao e manipulacao das tintas.

      Excluir
  2. olá!muito seu post.já faz algum tempo que nao uso mais diluentes para limpeza dos materiais de pintura,estou usando apenas água e sabao em barra e tem funcionado muito bem.acho que muitas pessoas nao sabiam disso.legal vc levar esse assunto a público,assim muitos artistas irao se preservar e continuar com saúde.bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há muitas formas alternativas de limpeza do material. Essa do sabão também é uma ótima dica. Obrigado por vir e participar, Solange. Grande abraço!

      Excluir
  3. Quanta riqueza nas informações, necessárias o bastante para alguns ajustes em meus trabalhos...o querosene é muito prejudicial a saúde? ... muito obrigado pelas informações, felicidades, meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vidal. Desde que manipulado em ambiente externo e evitando muito contato com a pele, pode ser utilizado. Felizmente o querosene evapora muito lentamente, mas tem um defeito terrível de deixar um forte cheiro, além de ser um pouco oleoso. Algumas pessoas o utilizam para misturar à tinta à óleo durante a pintura. Não recomendo.
      Abraço, amigo!

      Excluir
  4. mais uma vez parabens de grande valia essa publicaçao toda advertencia a favor de nossa saude tem seu lugar de importancia. a repeito das aulas me interessei em breve entrarei em contato, como seria minha locomoçao e hospedagen visto que um pouco longe. gostaria de saber se posso esta postando algumas imagens se seus trabalhos no meu blog e no yutube???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Everton, primeiramente agradecer pela visita e pelo contato. Quanto às aulas, mande um e-mail com suas dúvidas e nos falaremos. A respeito das imagens dos trabalhos, pode usar, não há problema.
      Grande abraço,
      José Rosário

      Excluir
  5. Olá José muito importante esta matéria , bom saber que voce também se preocupa com esse assunto, e nos compartilha isso. Eu lavo meus pinceis com sabonete, nao uso sencante de cobalto, terebentina, e outros solventes, aprendi isso com minha prof e comecei a fazer aulas com ela justamente por ela nao usar esses tipos de produtos, sem eles é uma pouco mais demorada o processo de pintar, mas também nao fará tanto mal a saúde, mas como voce sempre nos ensina algo, eu uso pano para limnpar pinceis, e como começei agora, nao tenho ateliê e moro em apartamento, agora vou tomar mais cuidados ainda, janelas sempre abertas e evitar os panos. Moro perto de brodowski e ja fui no Museu do Portinari e vi as tintas que Portinari usava apesar de ele fazer tintas caseiras, as suas tintas importadas continha muito chumbo, muito ruim. Muito Obrigado, abraços mestre!!!

    Marcos Araújo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcos, tenho recebido diversos e-mails solidários com a matéria. Acho que foi um bom momento para iniciar o assunto, pois a cada dia as técnicas se tornam cada vez mais utilizadoras de produtos altamente tóxicos.
      Que o papo possa render ainda mais.
      Grande abraço e obrigado por vir!

      Excluir
  6. Muito importante esta matéria José Rosário, tendo em vista que o dia a dia dos pintores está diretamente relacionado a estes materiais que põem em risco suas vidas.
    Grande abraço,
    José de Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Principalmente os professores de pintura, que estão sujeitos a uma exposição ainda maior dos produtos. Grande abraço, Jesus!

      Excluir
  7. Já viu um produto da Corfix chamado gel limpa pincéis? De acordo com o fabricante o desempenho para limpeza é superior ao da terebintina, utilizei o produto hoje e achei muito bom. É à base de água. Não sei se algum componente, como o conservante, pode ser tóxico (acho que vou escrever pro fabricante pedindo informação). De qualquer forma não me pareceu volátil como os solventes líquidos, o que possivelmente reduz o risco de inalar o produto (talvez seja o caso de confirmar isso também com o fabricante). Uso um suporte para esfregar os pincéis na limpeza, para evitar contato com as mãos. Também estou usando guardanapos de papel ao invés dos pedaços de pano. Ainda assim, cogito usar luvas para ter mais liberdade de manipulá-los (será que é exagero ou maluquice minha?).
    Antes costumava fazer uma primeira camada de pintura diluída em terebintina, para ficar mais magra. Para evitar isso estou usando a primeira camada em acrílico, que tem também a vantagem da secagem ultra rápida. E em camadas seguintes adiciono um pouquinho de óleo de linhaça em maior proporção para as mais superficiais (ainda assim, muito pouco). Há alguns anos eu não tomava estes cuidados, infelizmente.
    Saberia me dizer se os amarelos de nápoles atuais contém chumbo? Acho que seria correto que esse tipo de informação sobre componentes tóxicos viesse expressa na embalagem, é outra coisa pra gente começar a cobrar dos fabricantes, pelo menos dos nacionais. Falando nisso, você poderia falar das tintas que utiliza, marcas, recomendações e opiniões? (creio não ter encontrado esta informação aqui, desculpe se já postou algo sobre o assunto e não vi).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lis, vamos por parte.
      Já vi o produto de limpa pincéis que mencionou. Como já havia me habituado a usar diversos pincéis ao mesmo tempo e limpa-los em guardanapo, decidi não usar nenhum limpa pincéis, acho mais seguro.
      O suporte para limpeza de pincéis é ótimo e o utilizo apenas com detergente neutro.
      Também tenho recorrido ao uso da primeira camada em acrílica, em algumas situações, quando pretendo uma superfície mais magra na primeira etapa. É uma técnica segura e eficiente.
      Infelizmente os amarelos de Nápoles são feitos à base de chumbo, pelo menos de acordo com descrição do Manual do Artista, de Ralph Mayer.
      Utilizo a Corfix, das nacionais e Le Franc, das importadas. Às vezes menciono sobre as tintas quando posto alguma atividade passo a passo.

      Obrigado por vir e um grande abraço!

      Excluir
  8. Gostei muito de saber mais sobre os efeitos do uso de tintas e solventes, pois estou sofrendo com isso. O meu marido pinta a vários anos ele até agora não apresentou nenhum problema em quanto eu sofro com alergia toda vez que ele está pintando não sei mais o que fazer, moramos em apartamento e não temos muito espaço é horrível, obrigada por nos ajudar esclarecendo algumas dúvidas e desculpe o desabafo. Meu nome é Maria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Maria. Não são raros os casos por intoxicação. Seja pelo próprio artista ou por pessoas próximas a ele. O ideal, para que ele não pare de pintar, é que pelo menos coloque o cavalete próximo à janela, com um ventilador jogando o ar para fora. Já ameniza bem.
      Grande abraço e obrigado por vir!

      Excluir
  9. Um exemplo clássico de intoxicação por pigmentos vem de Portinari, que morreu devido ao uso de pigmentos com base principalmente no chumbo: branco de prata, amarelo de Nápoles e de cromo e o vermelho de saturno.
    Portinari optou, apesar da proibição médica, a continuar a pintar com tais pigmentos, fato que o levou à morte, devido ao Saturnismo, doença provocada por intoxicação pelo chumbo.
    Hoje, temos uma ampla gama de pigmentos atóxicos e de alta permanência, mas nem sempre foi assim.
    Ótimo artigo, José Rosário.

    Abraço grande desde aqui.
    S. Quimas
    Artista plástico, designer e escritor.
    http://facebook.com/SQuimas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Quimas, há várias opções no mercado que nos isentam de tais malefícios.
      Bom pelos acréscimos que fez quanto a Portinari. Certa vez li que ele tinha o hábito de limpar os pincéis nos braços, enquanto pintava. Perigoso demais.
      Grande abraço!

      Excluir
    2. Poxa amigo, ultimamente venho trabalhado muito para uma exposição de telas. Porém, comecei a tocir, embora pouco, só que nesse momento estava tentando dormir e me veio uma tosse com mais freqüência. Corri para o celular preocupado com a situação. Graças a Jeova Deus, encontrei você com suas orientações. Vou tentar me restringir por uns dias e me cuidar. Você acha que é preciso procurar um médico logo? Posso me tratar antes de procurar ele?Obrigado José.

      Excluir
    3. Olá Welson, é interessante verificar realmente se a sua intoxicação foi provocada pelo produto que usou. Caso seja alérgico a ele, evite o máximo que puder estar exposto a ele. Não se brinca com isso.
      Grande abraço!

      Excluir
  10. Ola José. Primeiramente parabéns pelo tema e por todas as suas dicas. Achei muito legal você levantar esse tema. Geralmente agente fica tão concentrado e disperso no trabalho artístico que nem prestamos atenção na gravidade dessas "intoxicações". Bom pra falar a verdade não uso secante e terebentina nunca vi um frasco ao vivo... mais em conpensação utilizo água raz para limpeza dos pinceis e realmente o odor costuma incomodar um pouco. Como moro em casa tenho um espaço onde posso pintar e sempre procuro deixar aberto para ventilar. Agora o negocio de usar pano pra secar os pinceis acho que me apego mais. Sabe aquela hora que vc precisa tirar o exesso de tinta do pincel mais que ainda necessita que esteja sujo de tinta para fazer alguns efeitos? Pois é, nunca tentei com papel toalha mais acho que vou ter dificuldades...rsrsr... Quanto a limpeza dos pinceis vou começar a amadurecer a ideia de limpar com agua e detergente. Mais uma vez obrigado pelas dicas... Um abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mudei para os papéis descartáveis quando tive os problemas que mencionei. Demorei um pouco para adaptar, mas hoje não sei ficar sem eles por perto.
      Grande abraço, Sebastião!

      Excluir
  11. Estou pintando mais com tinta acrílica, não sinto nem o cheiro e é a base de água.Tinta óleo só nos acabamentos.
    Adorei a matéria.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  12. Gostei do seu alerta José.Se eu tivesse tido acesso 'a esse tipo de informação a tempos atrás estaria ainda hoje pintando com tinta ' a óleo.E ao mesmo tempo fico feliz por não ter tomado conhecimento. Isso por que hoje faço uso da tinta acrílica e não quero mais usar a óleo. A acrílica me satisfaz completamente.Uso somente a água para diluir a tinta e limpar os pincéis e quanto a toxidade da acrílica nem se compara com a do óleo. Aproveito pra deixar uma sugestão:Tentem mudar para a acrílica em pró da saúde de vcs.Vale a pena! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a acrílica é menos tóxica por não precisar de diluentes e solventes, mas não devemos esquecer que os pigmentos ainda são os mesmos, por isso, mesmo com a acrílica, é bom não sujar as mãos.
      Obrigado, Pedro, pela sua visita e por nos compartilhar suas experiências.
      Um abraço, amigo!

      Excluir
    2. Em relaçao à acrilica estava equivocada, como nao tem cheiro nao tinha muitos cuidados; os paninhos sujos, de vez em quando trabalhar com a mao, directo.
      Há 3 mêses ando com muita irritaçao nos olhos. Oftalmologista 2 vezes e nao está fácil. Agradeço muito estes seus alertas, pois a partir de agora vou tomar precauçoes e espero vir a ter boas melhoras. Até já tinha posto a hipótese de deixar de pintar, o que me estava a dar muito sofrimento. Para mim a pintura é o meu anti-depressivo. Bem-Haja.

      Excluir
    3. O importante é encontrar um caminho para não parar. Mesmo que simplifique a técnica!
      Grande abraço, Maria Isabel!

      Excluir
  13. Todo trabalho manual com tinta, eu costumo sujar muito as mãos, tanto com a tinta quanto com o querosene de limpar o pincel. Minha frequência de pintura não eh muito grande, no momento so estou podendo pintar nas férias da faculdade. E pinto numa garagem com portão de aberta pela metade, ou seja, pouca ventilação. Sem falar no paninho q fica ensopado durante a pintura e eu naum o descarto. Lendo esta matéria me dei conta q sempre tenho dor de cabeça ao termino de um seção, eu pensava sem por causa do esforço visual, ou coisa parecida. Pelo geito vou ter q dar um tempo na pintura, por naum ter um lugar bem ventilado. Em relação as consequencias, como saber se estamos intoxicados? será q preciso fazer algo mais, tipo procurar um médico ou fazer exames?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sua frequência não é muito grande, é provável que sinta somente irritações, pelas vezes que utilizava. Melhor pra você, pois já era seu organismo dando sinais de que algo ali não estava bem. Sempre temos mania de ignorar alguns avisos do nosso próprio corpo. Saber perceber os limites, penso que seja essencial.
      Adote algumas das práticas que mencionei no texto e faça seu próprio teste. Só de eliminar os solventes e o pano para limpeza de pincéis, reduzirá drasticamente motivos pra se intoxicar.
      Grande abraço, Ewerton!

      Excluir
  14. Aprendi com o Alexandre Reider que para limpar os pincéis e a paleta podemos usar alcool. è muito fácil e não intoxica tanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma nova dica. Obrigado por compartilhar conosco, Lison.
      Grande abraço!

      Excluir
    2. Mas, o alcool, não estraga as cerdas dos pincéis? o uso de detergente e água não seria mais indicado para os pincéis?

      Excluir
    3. Também prefiro o detergente, Vera Lúcia. Elimina o óleo e não danifica as cerdas.

      Excluir
  15. Anonimo, 12 de abril 2013. Pinto em óleo tem isso uns 40 anos, sempre tive bastante cuidado usando mascara, mas como trabalho c figura humana tem detalhes onde preciso pintar c o rosto muito perto da tela e acredito q aí é q deu problema, a mascara ñ protege os olhos e a testa. Me apareceu uma pinta vermelha e durinha na testa, logo acima dos olhos e c muita coçeira.Resultado carcinoma basocelular c laterais e profundidade livres.Sei q é o mais brando, mas pergunto, seria ele tbem efeito da tinta? O médico diz q é do sol.Eu ñ sei viver sem a minha pintura.Estou me sentindo perdida e c medo de pintar. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que o sol e os produtos ajudaram um pouco. Enfim, quando se está propenso a uma multiplicação errada das células, tudo contribui, alimentação, stress...
      Que encontre melhoras e ótimos dias pela frente.
      Grande abraço!

      Excluir
  16. Eu sempre utilizei detergente neutro para limpar os pincéis, embora esse tipo de limpeza desgasta muito os pincéis, achei a forma mais saudável de limpar os materiais de trabalho. Sempre tive problemas com intoxicações devido usar muito a tinta a base de óleo de linhaça, e outros produtos tóxicos como, secante de cobalto, thinner e aguarrás as vezes. Mas de qualquer forma, valeu pelas dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seus cuidados são muito parecidos com os meus. O importante é se precaver sempre.
      Grande abraço!

      Excluir
  17. Olá José Romario. Primeiramente agradeço por sua orientação, afinal saúde é o que interessa não é mesmo? Gostaria de perguntar quanto ao pó do pastel seco que estou começando utilizar, visto que normalmente se esfuma com os dedos as áreas maiores, deve ser então prejudicial demais à saúde não é? como se proteger? Será que devo voltar para as minhas aquarelas, pois creio que estas por serem a base de água devem ser bem mais seguro quanto a possibilidade de intoxicação. Meu abraço e felicidades. Guaglio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas as técnicas utilizam os mesmos pigmentos em suas estruturas, Guaglio. O que muda de uma para a outra é o aglutinante, ou seja, o produto que faz com esses pigmentos se liguem e se estabilizem. Não é diferente com o pastel. O maior risco com ele, talvez seja pela penetração pelas unhas, principalmente o oleoso. Não saberia te falar o grau de toxicidade e maiores riscos que ele pode causar. Como você mesmo disse, não custa ter cuidado.
      Grande abraço e obrigado por vir!

      Excluir
  18. AQUI ESTÁ UM TESTEMUNHO DE MATERIAIS TÓXICOS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por visitar, Gracinda.
      Grande abraço!

      Excluir
  19. Olá!!!!

    Esse tema é muito inquietante e desperta muitas dúvidas... Ainda tenho uma. Será que você consegue me ajudar a alcançar algum esclarecimento?

    Sou também adepto da tinta acrílica por questões de segurança, mas não é incomum ouvir falar que ela não é tão segura quanto dizem.

    Há a questão do pigmento, sem dúvida, mas já ouvi dizer que mesmo a inalação de vapores é prejudicial à saúde. Isso por causa do processo de evaporação e formação do "plástico" que a compõe.

    Bem, isso para mim é muito estranho: se o diluente é água, não imagino como a evaporação dela possa transportar elementos nocivos. Porém, fiquei com a pulga atrás da orelha.

    Você consegue me explicar alguma coisa a respeito?

    Obrigado e parabéns pelo trabalho!

    CAIO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Caio, o tema é intrigante realmente. A tinta acrílica, como você mesmo mencionou, possui os mesmos pigmentos em sua composição. Por esse fator, teria sim, um grau de toxicidade muito semelhante às demais técnicas. Porém, o seu aglutinante é mais estável, permitindo que seja diluída em água, que mesmo evaporando de uma forma bem rápida, não arrasta tantos elementos com o vapor. Na dúvida, faça como eu acabei adotando comigo mesmo: procure se sujar o mínimo possível, pois é pela pele que grande parte das partículas penetra; pinte sempre em lugar bem ventilado e evite ao máximo, concentrar odores dentro do ateliê. Podem até não ser todos os cuidados necessários, mas estará resolvendo grande parte dos problemas.
      Obrigado por vir e grande abraço!

      Excluir
    2. Olá, ando pesquisando a respeito. Tenho a mesma preocupação, ainda mais por pretender usar um canto da sala para pintar em acrílico. No Manual do artista, do Ralph Mayer: "as tintas acrílicas secam por evaporação da água que leva consigo alguns dos polímeros. Será percebido que as tintas acrílicas emitem um odor característico quando secam. É a presença destes polímeros que cria o odor e são os próprios polimeros que podem criar riscos para a saúde.
      Gratidão por poder compartilhar.
      Abraço. Ana Rúbia Weber.

      Excluir
    3. Por ter uma secagem mais rápida, as tintas acrílicas costumam ser mais suportáveis que as a óleo, por exemplo. Mas, certas pessoas ainda não suportam o cheiro característico que elas exalam, mesmo depois de secas.
      Obrigado por vir!

      Excluir
    4. José rosário eu utilizei aguarrás na limpeza dá tinta em minha pele isso vai me trazer alguma consequência ?

      Excluir
    5. Olá Eduardo, geralmente uma reação alérgica de imediato. Caso você ainda não a tenha tido, pode ser que não tenha tido uma contaminação mais séria. Mas, evite deixar esses solventes em contato com a pele, a penetração de todas as substância se faz de maneira bem mais rápida.

      Excluir
  20. Olá José Rosário, muito obrigada pelos esclarecimentos. Bom há mais ou menos nove anos pintei alguns móveis para minha casa nova usei tinta acrílica semi brilho, thinner e um removedor automotivo para remover a pintura de um móvel laqueado, dias depois tive febre e fiquei muito vermelha, principalmente no busto, barriga e coxa. Pensei que pudesse ser dengue, mas a cor era estranha. Ou será fui intoxicada. O que você acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo indica que sim, Sâmara. Você tem que observar se não teve outras possibilidades de intoxicação com outros produtos. As alergias se manifestam principalmente com inflamação dos órgãos internos tais como fígado, baço, rins e intestino, que recebem as primeiras substâncias no organismo. É bom acompanhar para não se assustar depois.

      Excluir
  21. Fábio Souza Nascimento17 de dezembro de 2013 12:51

    Como vai José?
    Ainda estou engatinhando nesse meio artístico. Vou fazer 6 anos que comecei me aventurando nos tecidos e uns 3 anos que enfrentei as telas o.s.t, sempre as prestações rsrs. Tem uns 9 meses que pintei uma (nossa quando penso no quanto tenho que aprender ainda). Nunca me preocupei nas consequências pelo uso desses muitos materiais mas agora que estou querendo me dedicar mais, estou tomando consciência de tudo isso. Não disponho de um ateliê, mas também nunca tive a preocupação de um espaço ventilado por pintar tecido e o material não serem tão nocivos a saúde como esses outros, claro que sempre tomando os devidos cuidados. Como aquele trecho do seu comentário sobre a" Rosa" rsrrssr. Amo seu blog. Já vim aqui outras vezes, te acompanho pelo face. Uma riqueza em arte e informações. Muita luz e bênção na sua vida!!

    Abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fábio, que bom que esteja tomando gosto pela coisa. Pintar é fascinante e se cuidar não custa!
      Obrigado por vir, amigo.
      Um grande abraço!

      Excluir
  22. No meu caso é impossível seguir a dica "pinte em local arejado, com espaço e bem ventilado"... o único lugar que tenho para isso é um quarto, ele é ultra quente e pouco ventilado... Já sofri intoxicação alguma vezes...

    ResponderExcluir
  23. A propósito, utilizo detergente para limpar pincéis, só uso algum diluente como terebintina ou eco em casos muito específicos, quando os pincéis ficam muito carregados com tinta, retendo muito pigmento, mesmo assim, ainda limpo o máximo possível com papel higiênico e só depois passo para o detergente e então, se for preciso, molho um pouco em algum solvente. Já passei vários males com esses solvente,s infelizmente, o local onda pinto é pequeno e fechado, apenas uma janela, não muito bem ventilado e excessivamente quente(no caso do calor e falta de humidade no ar da região onde moro faz ajudar a pintura secar mais rápido, mas piora bastante no quesito "respiração"/cheiro das tintas...

    ResponderExcluir
  24. (os outros dois comentários como anônimo que se seguiram foram de minha autoria também). Quando estou pintanto alla prima, molhado sobre molhado, dependo sempre de um medium para impasto que aumenta "corpo" da tinta. Sei que esse tipo de medium é bem volátil e faz mal a saúde, mas quando não o uso, acabo sentindo dificuldade para modelar certas figuras, aplicar certos contrastes entre tons médios, escuros e luzes, com o medium sinto maior facilidade para aplicar essas nuances, mas minha vontade mesmo é pintar sem qualquer auxílio de medium impasto ou para velaturas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi os seus comentários.
      De todos os agravantes para seu estado de alergia, o local fechado será o mais sério. Quando manipular algum solvente, experimente usar uma máscara. Há uma de carvão ativado que ajuda bastante na eliminação do cheiro.
      Grande abraço!

      Excluir
    2. Tenho uma máscara para gases e vapores orgânicos onde se pode trocar os filtros, as vezes uso ela e o odor é totalmente suprimido pelos filtros, mas maioria dos casos não uso por teimosia, pois ela aperta um pouco o rosto, mas a consequência é sempre dores de cabeça e as vezes vertigens. Mas depois de ler esse sério artigo, creio que não deixarei mais de usá-la. Parabéns pelo blog. seus textos são ótimos e suas analises sobre os artistas são pertinentes. Foi através de seu blog que conheci o trabalho de artistas brasileiros excelentes, inclusive a pintura que você executa é maravilhosa, você sabe captar a naturalidade dos ambientes, está de parabéns. As suas dicas são ótimas também, principalmente sobre as estações do ano e as dicas de composição.

      Excluir
    3. Eu que agradeço sua vinda.
      Não deixei de usar realmente a proteção que você já tem. É incômodo, mas antes prevenir do que remediar.
      Grande abraço!

      Excluir
  25. Oi amigo !!!!!!!!!!!! que bom esta sua atitude,em nos alertar,sobre tintas e acessórios.Infelizmente fui vitima destas periculosidade,estou vendendo minha escola de artes e pinturas,por não poder nunca mais usar as antigas tintas,querosene, linhaça,aguarráz diluentes ,e demais produtos.Até os acrílicos ,( so com mascára) um grande drama para quem já tinha formigamentos,caimbras,dolorosas e dormências como eu,e amo demais tudo em artes e pintura. Dificil demais viver sem tudo isso,mas estou fazendo meu trabalho com todo cuidado do mundo depois que fuidectada complicações respiratória,enfizema pulmonar,bronquite e etc. Isso é muito real minha gente sério mesmo,podemos trabalhar,sim ,más com todo cuidado possível.Grande abraço !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito, Nethy. Mas, não deixe de praticar a arte que te mantém viva. Use outras técnicas, tais como pastel, aquarela, lápis de cor... Conheço trabalhos fantásticos fantásticos feitos com elas e que merecem todo o nosso respeito. O importante é não perder o vínculo com aquilo que nos mantém vivos.
      Grande abraço!

      Excluir
  26. minha sogra pintava teve todas estas complicaçoes, que foi falado morreu ,problema pulmonar.pintava muitos anos, eu estou pintando com acrilico, gostaria de pintar á oleo, mas estou assustada por tanto mal que faz.fiquei sabendo que o oleo mineral , e o óleo de nenen tanbem limpa o pincel, não testei. mas gostaria de saber sua opinião.

    ResponderExcluir
  27. gostaria de saber se óleo de nenen e oleo mineral serve para limpeza de pinceis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho experiência de limpeza com nenhuma das duas versões indicadas. Não saberia te opinar!

      Excluir
  28. Olá José, adorei seu texto....Só fiquei meio na duvida.... Os pigmentos pasteis não estão entre os tóxicos, certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, os pigmentos são os mesmos, usados em todas as técnicas. O que muda é o aglutinante ou a substância que o deixa mais ou menos estável. Como o aglutinante do pastel não é solvente e esse se encontra em estado sólido, a probabilidade de intoxicação é bem menor ou quase nula. Obrigado por vir!

      Excluir
  29. Jose,obrigada pelas dicas, são muito valiosas, eu tenho uma pergunta, por favor, será que crianças podem usar acrilicos para pintar? Eu trabalho em escolas na Guyana Francesa, e sempre sou chamada para ajudar nas atividades artisticas, e gosto de usar acrilico para essas atividades. Por favor me de uma dica. obrigada. Gersi Reis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gersi, bom que tenha vindo. A intoxicação por acrílica é muito improvável, apesar de serem usados os mesmos pigmentos na composição das tintas. Não possui solventes voláteis como os utilizados em outras técnicas e mesmo quando em contato com a pele, a tinta forma películas e não penetra como as outras. Mas, há sempre um cuidado especial com crianças, principalmente por terem o hábito de levar as mãos à boca. Cuidados nunca são em excesso!

      Excluir
  30. Nossa, eu sempre usei querosene para limpar os pinceis, assim como todos no atelie que utilizamos, e ja senti meus olhos super vermelhos e dores de cabeça mas jamais pensei que pudesse ser por esses produtos, vou passar a utilizar toalhas de papel, e limpar os pinceis com detergente, obrigada.

    ResponderExcluir
  31. Muito bom seu artigo e a tempo pesquiso a respeito da toxidade destas substâncias. Pinto a óleo, não faço uso de diluentes, apenas óleo de linhaça, toalhas de papéis e lugar arejado. Entretanto uso os dedos na realização da pintura como uma técnica. Minha dúvida fica por conta deste fato. Alguns dizem que as tintas são sintéticas, logo não tóxicas. Gostaria de ouvir seu conselho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Zanete, usar os dedos não é uma prática muito recomendável. A penetração dos pigmentos pela pele é tão prejudicial quanto pela via oral.
      Bom se precaver.

      Excluir
  32. POR ESSAS E OUTRAS QUE SEMPRE PREFIRO TRABALHAR COM Acrílicas....ALÉM DE SER TECNICAMENTE MAIS COMPLETO QUE O ÓLEO, TE DÁ UMA ''VANTAGEM'' DE PODER PINTAR SOBRE PAPEL PREPARADO OU NÃO E DE PODER MISTURAR COM VÁRIOS MATERIAIS COMO CARVÃO, CANETA, CRAYONS, COLAR JORNAIS E ETC...VAI TENTAR FAZER ISSO COM ÓLEO PRA VER O QUE ACONTECE. ÓLEO É UMA TÉCNICA MEIO ''DURA'' QUE NÃO TE PERMITE EXPLORAR TANTO COMO O ACRÍLICO, E AINDA POR CIMA TEM QUE USAR UMA SÉRIE DE SOLVENTES , É DEMORADO E POUCO ÁGIL. NO ACRÍLICO VC TEM MAIOR PODER DE EXPRESSÃO QUANDO PINTA-SE COM VELOCIDADE, JOGANDO TINTA JÁ DILUÍDAS EM TUBOS, USANDO AS MÃOS, JOGANDO ÁGUA E ETC...ALÉM DISSO, NÃO SÃO TÓXICAS O TANTO QUANTO OS ÓLEOS. ENFIM, PREFIRO INFINITAMENTE OS ACRÍLICOS....ABRAÇOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vianno, essa é uma questão mesmo polêmica. As pessoas acabam se acostumando com as técnicas que melhor se adaptaram e isso é bem interessante. É bom não se esquecer que o pigmento usado na confecção da acrílica é o mesmo das outras técnicas, porém o aglutinante que é diferente. Portanto, se usar um amarelo de cádmio em acrílica, ele terá cádmio do mesmo jeito que em outra técnica, somo o óleo por exemplo.
      Obrigado pela vinda e pela participação.
      Grande abraço!

      Excluir
  33. Acho que depende muito do metabolismo de cada um. Eu comecei com uma asma após ficar 2 dias pintando um quadro com tinta acrílica para um concurso. Antes disso, por experiência própria, já tinha percebido que o lápis pastel seco me faz mal, pelo menos para mim! Fico com falta de ar e junto catarro imediatamente após usar. Tinha dúvidas, mas continuei a tentar usar e tenho certeza. Vou começar com o pastel macio agora, pra ver se sinto a mesma coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Rosi, não há regras fixas para isso. Cada corpo tem as suas especialidades e seu modo de reação mediante os produtos. Um conselho importante, é sempre estar atento a modificações significativas que houverem, sempre que manusear um material novo.
      Grande abraço!

      Excluir
  34. Olá, Jose. Muito obrigado pelo post... Gostaria de saber se tem alguma máscara que vc indicaria para o uso em pintura com tinta acrílica... aguardo. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André, bom dia!
      Não saberia te informar se existe especificamente uma máscara para tinta acrílica. Para pessoas com intolerância muito grande ao cheiro, já vi usarem máscara com carvão ativado, é a que retém melhor. Faça um teste com você.
      Grande abraço e obrigado por vir!

      Excluir
  35. Olá José, gostei muito do seu Post. Estou particularmente interessada pois minha filha de 6 anos quer fazer aula de pintura em tela e a prof. insiste não ter problemas em usar a tinta à óleo, eu sou contra, sempre evitei pois tenho bronquite e a tinta sempre me afetava, passei usa só a acrílica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alessandra, os cuidados são essenciais.
      Tão importante como descobrir alguma espécie de alergia ou intolerância é certificar-se que isso não esteja ligado a fatores como ritmo de vida, alimentação correta, prática de exercícios...
      A arte é um excelente exercício para a manifestação das emoções e privar-se dela também é uma grande perda.
      Grande abraço!

      Excluir
  36. Bom dia, descobri seu blog porque estava pesquisando sobre alergia das tintas, eu pinto pano de prato e fraldas, não faço isso diariamente mesmo pq eu trabalho, e so nos tempos livres e quando estou com vontade de pintar, mas começou uns mal estar, irritações na garganta, vc saberia me dizer que as tintas para tecido da Acrilex, tem esse perigo tb ? pois vi que vc colocou algumas regras para pintar, eu pinto no meu quarto, as vezes janela fechada, devo inalar o cheiro durante o sono tb, vc poderia me responder por favor...meu email dama.solitaria1948@gmail.com, seu puder agradeço muito...bjos no seu coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enviei uma resposta para seu email.
      Obrigado pela vinda!

      Excluir
  37. Bom dia! Obrigada, você me tirou tantas dúvidas e principalmente porque eu cometia erro de usar trapos de panos para limpas os pincéis, eu até comentei com meu marido o marido onde eu guardo todo meu material, tinha um cheiro horrível, pois eu guardava numa parte dele os panos usados para limpar os pincéis.Acabei jogando os usados fora e comprei vários panos, mas nem vou usá-lo porque ando com muita falta de ar, tenho problemas cardíacos, então vou mudar tudo..Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha auxiliado em algo. Essas dicas foram muito úteis para mim, quando as descobri.
      Um grande abraço!

      Excluir
  38. O que voce escreveu, é bastante pertinente, por que eu pinto a muitos anos, mais de trinta. eagora comece a sentir o rosto na região do nariz e boca ficam com vermelhidão. e as mãos estremamente secas, O meu trabalho é feito em azulejos, e por isso uso tinta de porcelana. e tenho todos os defeitos, muita tinta aberta,lixeira tambem no ateliê. muita tinta azul cobalto (azulejos portugueses), e ateliê fechado por causa do frio. E sem parar para descanso. Gostei muito de seu alerta. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom que tenha ajudado a reforçar o cuidado de agora em diante, então.
      Grande abraço

      Excluir