sábado, 4 de junho de 2011

WILSON VICENTE (José Rosário)

WILSON VICENTE
Rua de Ouro Preto


Não é uma atividade fácil, falar sobre alguém do qual se admira muito. Não só apenas do campo profissional, mas também sobre a pessoa. Conheci Wilson Vicente em 1995, a convite de amigos meus da cidade de São Domingos do Prata. Wilson estaria por lá dando aulas de pintura durante alguns finais de semana. As quatro aulas que assisti com ele, ficaram sendo por assim dizer, toda a minha formação de escola, e até hoje, agradeço imensamente à Maura e ao Quinca pelo convite para estar lá.

WILSON VICENTE - Fundo de engenho
Óleo sobre tela - 70 x 100
Coleção Maura Morais

WILSON VICENTE - Terreiro de fazenda
 60 X 80

Desde sempre, Wilson me pareceu a figura perfeita para encaixar dentro do perfil de um pintor mineiro, no sentido mais real da palavra. Sempre de pouca conversa e falar também sempre manso e muito objetivo. Cauteloso e avesso às exposições públicas, está sempre ali, no seu cantinho, comunicando com o mundo apenas com a sua arte. Ainda um pouco resistente aos contatos tecnológicos da internet, a divulgação de seu trabalho se faz principalmente pela propaganda natural das pessoas que o colecionam.

WILSON VICENTE - Rua em Ouro Preto

Nascido na cidade mineira de Cataguases, em 1951, já tem uma longa trajetória na história da pintura no estado, iniciada num passado já distante, quando tinha apenas 16 anos de idade. Fátima e os filhos são a companhia de toda sua jornada.
Wilson já possui uma sólida carreira, formada toda ela em cima da temática mineira: paisagens, casarios e o dia-a-dia dos personagens do interior que há tanto tempo povoam suas obras.

WILSON VICENTE - Ordenha

WILSON VICENTE - Primavera

Suas cores são bem vibrantes e os seus efeitos bastante convincentes. Em determinados trabalhos há um meticuloso detalhe, elaborado no pincelar de várias seções. Suas sombras são bem iluminadas e há que se destacar vários efeitos relevantes em suas telas: a neblina da manhã, a vegetação de beira de estrada com poeira depositada e a anatomia de animais ao pasto, que já tomam forma apenas pela imaginação.

WILSON VICENTE - Vila
60 x 80

WILSON VICENTE - conversando

De escola, o pouco que aprendeu em termos de artes plásticas, foi com Raimundo Costa, a quem ele atribui o conhecimento das cores. A técnica e o jogo de luzes vieram pela escola da vida, sempre baseando nos trabalhos de Edgar Walter (de quem ele gostaria de ter sido aluno). É também em Edgar Walter a referência pela busca constante do aprimoramento técnico e da perfeição.

WILSON VICENTE - Lavadeiras

WILSON VICENTE - Indo pra lida
60 x 80

Seus trabalhos exalam acima de tudo, muito lirismo. Momentos fugazes do campo em atitudes que parecem ser tão banais, mas tão carregadas de símbolismos e sacramentos.

WILSON VICENTE - Manhã em Ouro Preto
70 x 50

WILSON VICENTE - Tiradentes
50 x 70

Quem não teve escolas tem que treinar à partir de trabalhos de artistas famosos e com quem identificamos”. São palavras do próprio Wilson. Este treino valeu a pena, pois lhe permitiu revelar todo o seu dom artístico, o entender das coisas à partir de como elas são e como foram em um dado momento.
Das poucas vezes que vi Wilson pintando, lembro bem da facilidade no manejo dos pincéis, da habilidade no desenho das figuras e principalmente da intimidade com que tem com as cores.

WILSON VICENTE - Paisagem com fazenda
60 x 80

WILSON VICENTE - Animais no coxo
60 x 80

Ele é catalogado pelo Dicionário das Artes Plásticas do Brasil, Júlio Louzada, em várias edições. Ao longo de sua carreira já participou de diversas exposições e suas obras se encontram em várias coleções, tanto no Brasil quanto no exterior.

WILSON VICENTE
Igreja São Francisco de Assis, Tempo nublado
60 x 80

WILSON VICENTE - Festa do Congado
50x70

Gostaria de vê-lo mais em exposições, individuais ou mesmo coletivas, que mostrassem o seu trabalho, principalmente a força do conjunto que há nele. Suas cenas rurais parecem, quando isoladas, capítulos de algum filme, ainda em andamento. Seria muito bom ver muitos deles juntos, algo como uma seção de cinema em imagens congeladas.

Seus trabalhos sempre representarão muito bem Minas e todas as suas tradições.

  

PARA SABER MAIS:

ou (19) 9906-9004

5 comentários:

  1. mais um excelente artista e, prá variar, de minas! a temática, não poderia ser realmente mais mineira: seu passado histórico e seu presente rural. parabéns ao wilson!
    paulo de carvalho

    ResponderExcluir
  2. Valeu Paulo, já está transmitido os parabéns ao Wilson. Mais uma vez, obrigado pela visita e os incentivos de sempre. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. ...Parabens caro wilson, belissimo trabalho. Do também artista: Bezerra da Cruz

    ResponderExcluir
  4. Olá Bezerra, obrigado pela visita aos trabalhos do Wilson. Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Jozé Rosario vc é mesmo o cara, resgatando tudo de bom da nossa arte, parabéns. .. Só faltou eu ai né rsrs Luiz Armond

    ResponderExcluir